quinta-feira, 30 de março de 2017

Ex-travesti, que hoje é pastor e casado / Testemunhos de ex-homossexuais convertidos ao Evangelho são censurados

O testemunho de conversão de um homossexual vem, sempre, acompanhado de muitas críticas da sociedade, que via de regra, diz ser impossível que alguém com atração sexual por pessoas do mesmo sexo mude sua orientação. E, em muitos casos, os relatos dessas situações são censurados e omitidos.

O pastor evangélico Joide Miranda, de 47 anos, que até os 26 era travesti, alega que ainda sofre preconceito por defender uma “restauração sexual”. Casado, ele e a mulher ajudam pessoas que decidem deixar o que chamam de ‘estado de homossexualidade’. Entre as ofensas recebidas, uma ameaça de morte já foi direcionada aos missionários na internet.
Entre os relatos da hostilidade que sofreu, o pastor contou que dois homens chegaram a persegui-lo nas igrejas durante as pregações. Pela internet, ativistas da causa gay chegaram a ameaçá-lo de morte, segundo o pastor, que hoje dá palestras pelo país.

“A mensagem dizia que meus dias estavam contados e que eu seria destruído”, lembrou. As ofensas nunca partiram para algo mais sério. Porém, as mensagens ficaram arquivadas, caso eles precisassem registrar um boletim de ocorrências.
A plataforma Vimeo, concorrente do YouTube, segue uma política mais flexível do que o serviço de streaming do Google, e permite, por exemplo, a publicação de filmes pornográficos. Porém, existem relatos de que os administradores estariam deletando os vídeos de ex-homossexuais que abandonaram a prática.                                            
Os homossexuais são pessoas maravilhosas, profissionais excelentes e não gostam de parada gay e exposição.   Os ativistas gays é que agridem e nos chamam de homofóbicos e "fundamentalistas", declarou.
      Para Joide, (nas duas primeiras fotos do blog) as ofensas não têm fundamento, já que ele prega a igualdade.  A partir da experi~encia pessoal, Joide decidiu ajudar outras pessoas, junto com a mulher, a missionária Édna Miranda, orienta e aconselha quem quer "deixar de ser gay".  de acordo com o pastor, o trabalho é sempre de receber e dialogar com as pessoas.  "Se eles quiserem sair dessa vida, mostramos que tem uma luz.  Porém, quem não quiser não podemos fazer nada", explicou.
   " Édna contou que os ‘pedidos de socorro’ são tantos,
 que nem sempre eles conseguem atender todas as pessoas.
 “Existe uma multidão, mas elas não são mostradas”, disse, 
completando, que os gays que saem do
 ‘estado de homossexualidade’ são recriminados. “
Um Livro é Escrito
                                                                                                                                                       
   Joide lançou, em 2013, o livro ‘A intimidade de um ex-travesti’, em 
que conta sua trajetória desde a infância até se tornar evangélico. Na obra,
 ele revela segredos nunca revelados.
É no livro que o pastor relata a preferência desde pequeno por brincar com 
as meninas e isso causava estranhamento nos garotos da mesma idade.
 “Lembro-me que nessa fase, passei a gostar muito de boneca e de casinha
 com minha irmã Rita”, diz um trecho.
Em outras páginas ele narra toda a história dele. A saída de Cuiabá, a temporada 
no Rio de Janeiro e em São Paulo, os implantes de silicone, a prostituição,
 a chegada na Europa, o diagnóstico de HIV, o encontro com Deus e o 
casamento são contados no livro.

 Depois de se tornar religioso, ele retirou as próteses de silicone dos seios e
 o silicone industrializado dos quadris.
Em outro momento, conta como descobriu que era soropositivo
“Fui denunciado por traficar pessoas para a prostituição por um travesti que
 veio do Brasil. Levaram-nos para o Presídio de Segurança Máxima San Vitorio. 
Chegando lá, cumprimos todos os procedimentos. Um deles era o teste de HIV.
 O resultado do meu teste foi positivo”, diz.

‘Pedidos de socorro’
Os missionários dizem receber incontáveis pedidos de ajuda. Joide e Édna já

 chegaram a receber e-mails e telefonemas de pessoas da Alemanha, 
Japão e França. Segundo eles, os contatos mais frequentes são de pessoas
 que querem voltar a serem heterossexuais. No entanto, grande parte dos pedidos
 também e feita por pais e mães que não concordam com a sexualidade dos filhos.
Casamento
Casado há 17 anos, e pai de Pedro, de quatro anos, Joide diz que hoje vive em

 paz e que se sente realizado. “Amo minha casa, meu filho. Tenho prazer no que
 faço e me dedico fielmente à pregação”, afirmou.

Os dois se conheceram em 1992 durante um depoimento (testemunho de vida) de Joide na 
igreja. Convidada por uma amiga, mesmo com
 receio, ela foi ouvir as histórias “do ex-travesti 
recém-convertido”. Na época, ela diz que pedia
 a Deus que um bom homem entrasse em sua
 vida. Porém, nunca imaginou que iria se casar
 com um ex-gay.
“Se Deus me perguntasse naquela época se
 queria ter um ex-travesti como marido, é claro
 que eu diria não, mas fui surpreendida e 
acreditei. Hoje, não sou casada com um gay, 
nem com um travesti, mas com um heterossexual restaurado por Deus”, declarou.
A mãe de Joide, Odete Miranda, foi a primeira a acreditar no filho e disse ter orado muito para a restauração sexual dele. “Deus não faz
 nada que não seja perfeito. E Ele fez meu filho homem e ele tinha que virar
 homem”, afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nunca utilize palavras torpes ou pejorativas e nem palavras ofensivas e nenhuma classe social ou entidades públicas ou privadas.