segunda-feira, 26 de agosto de 2013

FIM DO MUNDO ! SODOMA E GOMORRA É "FICHINHA" PERTO DESSE PESSOAL

Um site de relacionamentos está causando uma enorme polêmica no Brasil e nos Estados Unidos por ser focado apenas em casais cristãos que querem fazer “suingue” com outros casais cristãos, ou seja, sexo grupal entre eles.
O Swingers Christians é como qualquer outro site de relacionamento para cristãos, com a diferença de que ao invés de encontrar uma pessoa para se relacionar, ele facilita através da internet o “troca-troca” de casais.
O serviço estampa em sua primeira página a foto de um suposto casal cristão que realiza suingue, e um texto afirmando que o Swingers Christians foi feito para “casais cristãos devotos que ainda querem ter uma vida amorosa ativa e compartilhá-la com outros, de boa fé!”. Parece piada, mas não é. O site, já prevendo a grande quantidade de críticas que receberia, cita ainda o Livro Sagrado para defender a si e seus usuários: “a Bíblia nos ensina: não julgueis para que não sejais julgados. E há o verso sobre a primeira pedra”.
O site possui cadastro gratuito, mas cobra para que o usuário realize uma série de atividades consideradas “premium”. Apesar do serviço ser em inglês, diversos casais do mundo inteiro já se registraram, geralmente em anonimato. Segundo a página de “quem somos” do serviço, o “Swingers Christians é a mais crescente cooperativa de sites de encontros on-line do mundo”.
Diferente do informado por uma notícia no site Yahoo, o Swingers Christians não foi criado por cristãos. O registro do domínio foi feito pela empresa Infinite Connections Inc, especializada na criação de sites de relacionamentos adultos voltados para pessoas que praticam fetiches e/ou homossexualismo.
Revolta
O site vem sendo recebido como piada por cristãos e até por pessoas não ligadas ao cristianismo. A proposta, que claramente fere a doutrina pregada nas igrejas e na Bíblia, é vista como “anti-bíblica e pecaminosa”, segundo o Louise Nielsen, profissional de saúde mental do ministério At The Crossroads Inc, nos Estados Unidos.
Em entrevista ao site americano Christian Post, Nielsen afirmou que o comportamento dos swingers não é “de maneira nenhuma apropriado para os cristãos ou para qualquer outra pessoa”, e completou, “sinto-me triste pelas pessoas que estão envolvidas nisso. Nunca vi isso resultar em outra coisa a não ser dor no casamento”, enfatiza.
Na página do serviço no Facebook é possível encontrar diversos cristãos indignados com a proposta do Swingers Christians, a maioria cita o versículo 1 Corintios 6:9-10 que diz que os “adulteros não herdarão o reino dos céus”.

terça-feira, 13 de agosto de 2013

AS DEZ PRAGAS DO EGITO, RELATADAS NA BÍBLIA, VISTA PELA CIÊNCIA

Especialistas apresentam evidências que poderiam explicar os famosos fenômenos que assolaram os antigos egípcios.

Mesmo que você não seja religioso, provavelmente já ouviu falar sobre as Dez Pragas" do Egito”, não é mesmo? Essas maldições — descritas no livro de Êxodo e consistindo em águas de sangue, rãs, piolhos, moscas, morte de animais, sarna, granizo, gafanhotos, trevas e morte dos primogênitos — foram lançadas há aproximadamente 3 mil anos sobre os egípcios, depois de o faraó se negar a libertar o povo hebreu da escravidão.
No entanto, será que essas pragas realmente aconteceram? E, se aconteceram mesmo, o que a ciência tem a dizer sobre elas? Existem evidências sobre desastres naturais que ocorreram no Egito e que podem ter servido de base para o surgimento da fábula bíblica, e arqueólogos acreditam que as pragas ocorreram na antiga cidade de Pi-Ramsés, localizada no Delta do Nilo e que serviu de capital do Egito durante o reinado de Ramsés II.
Além disso, mais do que terem sido lançadas pela ira divina, especialistas de diversas áreas acreditam que as pragas podem ser explicadas através de uma cadeia de fenômenos naturais que provocaram uma série de mudanças climatológicas e desastres naturais. Conforme explicaram os cientistas, Pi-Ramsés parece ter sido abandonada há 3 mil anos, e as dez pragas bíblicas poderiam servir de explicação.

Águas de sangue


De acordo com os especialistas, depois de analisar estalagmites localizadas em algumas cavernas egípcias, foi possível reconstruir os padrões climatológicos da época através de vestígios de elementos radioativos presentes nas rochas. Esse estudo revelou que ocorreu uma dramática alteração climática nessa região ao final do reinado de Ramsés II, passando de úmido e quente para um período de seca com consequências muito sérias.
O aumento das temperaturas e a falta de chuvas podem ter alterado as características do Nilo, transformando-o em um rio de fluxo mais lento e barrento. Esse ambiente se torna muito propício para a proliferação de alguns microrganismos, e a presença de uma alga — a Oscillatoria rubescens —, que se multiplica rapidamente em águas mais cálidas e pouco movimentadas e que torna as águas vermelhas ao morrer, se encaixa na descrição.

Sapos, insetos e doenças


A presença da O.rubescens teria, por sua vez, dado origem à segunda, terceira e quarta pragas, ou seja, à chegada de sapos, piolhos e moscas. A rápida proliferação da alga teria provocado alterações no ciclo de desenvolvimento de girinos, e o fato de que seja tóxica teria forçado essas criaturas a deixar as águas. E, com a morte dos sapos, insetos como moscas e piolhos começariam a se proliferar sem controle, devido à falta de predadores naturais.
A falta de sapos para manter a comunidade de insetos sob controle pode ter levado ao surgimento das próximas pragas: morte de animais e sarna. Como você sabe, alguns desses bichinhos podem transmitir doenças aos humanos, portanto, o próximo passo na cadeia de eventos que assolaram o Egito foi o aparecimento de epidemias que fizeram com que a população adoecesse.

Granizo, gafanhotos e trevas


Próximo à época das pragas, a erupção do vulcão Thera —uma das maiores da História — resultou na emissão de bilhões de toneladas de cinzas na atmosfera. Essas partículas teriam sido as responsáveis pelas terríveis tempestades de granizo que caíram sobre o Egito, e por anomalias climáticas que teriam resultado em precipitações mais constantes, criando um ambiente propício para a chegada de gafanhotos.
Além disso, a presença de cinzas na atmosfera também pode ter bloqueado a luz do sol, explicando a nona praga, ou seja, os três dias de trevas. Embora não existam vulcões no Egito, pesquisadores encontraram rochas de origem vulcânica durante escavações no país, e análises realizadas nas amostras apontaram que a lava era proveniente do Thera, que ficava localizado a quase 700 quilômetros de distância, no arquipélago de Santorini.

Morte dos primogênitos



http://www.rudecruz.com/imagens/a-morte-dos-primogenitos.jpgA última praga a cair sobre os egípcios — a morte dos primogênitos — já foi explicada como sendo o resultado de uma intoxicação por um fungo que teria infectado as reservas de grãos. Na época, os filhos mais velhos tinham prioridade sobre os demais na hora de comer, e teriam morrido depois de ter consumido alimentos produzidos com cereais contaminados.
No entanto, outra explicação que circula por aí — já que a bíblia diz que os primogênitos morreram todos em apenas uma noite — também se baseia na erupção do Thera. Esse evento teria provocado abalos sísmicos que resultaram na liberação de gases tóxicos, formando uma espécie de lençol venenoso que causou a morte das pessoas que estivessem dormindo nos andares mais próximos ao nível do solo, ou seja, os primogênitos.

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

CIENTISTAS AFIRMAM TEREM ENCONTRADO O CÓDIGO GENÉTICO DE ADÃO E EVA

                       
 
Adão e Eva, os primeiros seres humanos criados por Deus segundo a Bíblia, podem ter sido encontrados por cientistas da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos.
A informação de que os geneticistas liderados pelo pesquisador David Poznik teriam descoberto o código genético dos primeiros seres humanos foi divulgada recentemente pela revista Science, especializada em pesquisas científicas.
O método científico usado pelo grupo de pesquisa foi analisar o DNA de 69 pessoas diferentes, de diversas partes do mundo. A partir do estudo nesses dados, descobriu-se denominadores comuns no genoma, que pertenceriam ao que eles chamaram de “pais da humanidade”.
O estudo levou em conta o princípio científico de que homens de diferentes partes do mundo possuem mutações genéticas específicas, como por exemplo os índios da América, que possuem certas características em seu DNA que não existem em pessoas de outros lugares do planeta.
A partir daí, a análise excluiu as particularidades e conseguiu determinar o código genético base que é compartilhado por todos os grupos analisados. Através de uma espécie de marcadores de tempo existentes no genoma humano, os cientistas explicaram que é possível determinar a distância temporal entre a origem e o acúmulo de mutações genéticas.
Os pesquisadores estimam que Adão e Eva tenha vivido na África, entre 120 e 156 mil anos atrás e 100 e 148 mil anos, respectivamente. A pesquisa, embora esbarre na narrativa de tempo bíblica, reforça os relatos do Gênesis, de que Deus teria criado Adão e posteriormente Eva.

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

NA MORAL: PARTICIPAÇÃO DO PASTOR SILAS MALAFAIA FICA NO TOPO DOS ASSUNTOS NAS REDES SOCIAIS

                                       
                                                                               
 A repercussão nas redes sociais do debate promovido pelo programa Na Moral a respeito do Estado laico levou o tema ao segundo lugar dos assuntos mais comentados no Twitter.
Em seu perfil na rede social, o pastor Silas Malafaia comentou que, apesar de não ser um especialista no tema, acreditava que tinha se saído bem: “Reconheço minhas limitações, muita gente de Deus estava orando por mim quando estava gravando. O Espírito Santo é muito sábio”.
Na página da Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (ATEA) no Facebook, a usuária Fabiana Simões criticou a forma como muitos evangélicos desqualificaram o pensamento dos demais participantes do programa: “Eu só queria entender por que os evangélicos são tão intolerantes e a todo instante ‘julgam’ os adeptos a outras crenças? Sempre maldizendo e criticando as pessoas de outras religiões. Respeito evangélicos e eventualmente vou na igreja ouvir a palavra… Mas não acho legal quando começam a falar mal dos católicos ou espíritas ou qualquer outra fé…”, escreveu.
Nossa tem muitas coisas que o Silas fala… que não tem nada haver com a pergunta… Ele desvia sempre do questionamento inicial… A única coisa que ele consegue é falar mais alto por falta de argumentos”, criticou Titi Blablation, ainda na página da ATEA no Facebook.
Sobre as críticas feitas contra ele, por ter se alterado durante a discussão, Malafaia afirmou que direcionar as atenções para isso era uma maneira de esconder a falta de argumentos contra ele: “Não tem como contra argumentar, o jeito é falar do meu tom de voz. Tenho que [rir] kkkkkkkkkkkkk. Para os que não tem argumento, só usando vídeo editado grotescamente para tentar me denegrir. Dizem que são honestos, na verdade, não tem caráter”, retrucou o pastor.
Apoio
Os seguidores de Malafaia o elogiaram por seu desempenho no Na Moral: “O pastor Malafaia acaba de provocar o jejum coletivo na comunidade dos ateus para escolha do novo líder. Porque esse de hoje foi demitido, né?”, ironizou o usuário Luiz Rocha, fazendo referência ao desempenho de Daniel Sottomaior, representante da ATEA no debate.
“Pastor Malafaia desmascara o preconceito histórico contra o povo evangélico no Brasil e que se volta contra os pastores”, comentou Ananias Gomes. “Só pra deixar claro… O ateu perdeu uma bela oportunidade de ficar calado. Pastor Malafaia detonou”, complementou outro usuário.
Transparência
O apresentador Pedro Bial gravou um vídeo com depoimento a respeito do debate e afirmou que não se lembra de ter visto uma conversa tão franca a respeito de um tema tão complexo e delicado.
“Um debate tão direto botando lado a lado ateu, candomblecista, pastor evangélico e padre. Não me lembro de ter visto algo tão transparente assim, nada semelhante a isso”, afirmou.

Confira no vídeo abaixo:

                                                                                                   
  O pastor Silas Malafaia usou seu site, o Verdade Gospel, para protestar contra o programa “Na Moral” da Rede Globo, apresentado por Pedro Bial. Para o líder evangélico a atração da última quinta-feira (19) usou métodos para comover o telespectador e assim promover a causa gay.
Antes do texto com o comentário do pastor presidente da igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo a redação do site citou algumas falas do apresentador: “A moral está mudando”, “o que importa é o amor”, “vocês são corajosas” e “venceram preconceitos”. Para Malafaia essas frases foram ditas para influenciar os fãs do programa.
Para mostrar o apoio da emissora aos grupos LGBT, o “Na Moral” mostrou o casamento de duas mulheres e levou ao palco o estilista Carlos Tufvesson, ativista gay conhecido por ter seu pedido de casamento negado.
Malafaia analisa esses elementos que foram usados e critica dizendo que tudo não passou de uma propaganda, para ele Pedro Bial fez de seu programa “uma verdadeira propaganda de união gay, enganando a sociedade ao mexer no emocional das pessoas, quando na verdade, por trás das câmeras, estas relações são terrivelmente problemáticas”.
O vídeo da edição do programa citado foi disponibilizado no Verdade Gospel para que os leitores possam ver e tirar suas próprias conclusões sobre o caso. O pastor também condena o espaço dado pela Globo para esse tipo de mensagem dizendo: “É inaceitável que um veículo de comunicação desta grandeza venha fazer uma apologia tão ridícula ao casamento gay”.