sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

O Verdaeiro Espírito ( demoníaco ) de Natal







       Bem, é necessário fazer algumas explicações. O 'Papai Noel' dos tempos modernos não passa de um produto, uma ferramenta do comércio para despertar uma febre de consumo em crianças e adultos e justificar filmes melosos. Nada mais.


Mas o velho Noel é muito mais do que isso.

           As origens da figura remontam ao Santo Nicolau Taumaturgo, arcebispo de Mira na Turquia.  Nascido em 280 DC, o bondoso homem colocava moedas de ouro nas casas de pessoas em dificuldades financeiras (mais especificamente, um saco de moedas de ouro nas chaminés dessas pessoas) e foi canonizado depois de muitos milagres a ele atribuídos. Sua festa foi celebrada no dia 6 de janeiro até ser retirada do calendário oficial da Igreja Católica em 1969. Apesar de tudo que se lê pela internet a cerca da Coca-Cola, a verdade é que o atual visual do velhinho foi criado pelo cartunista Thomas Nast em 1886. Foi apenas em 1931 que a famosa bebida usou o novo Papai Noel numa campanha publicitária que explodiu pelo mundo, solidificando a atual imagem da personagem. 

       Como se lê acima (e se vê também na misteriosa imagem que abre o post e logo será explicada), muitos milagres foram atribuídos a São Nicolau, o que indica ser ele um espírito divino da mesma categoria daqueles mencionados em Hebreus 12:23. Logo, estamos falando de uma entidade capaz sim de exercer poder sobre nosso mundo em favor daqueles que saibam conectar-se e sintonizar-se com ele.

Mas não é só.


Krampus, muito festajado na "Folia de Reis"

         A figura sombria ao lado de São Nicolau na abertura da postagem chama-se Krampus. E, acredite se quiser,é elemento inseparável na energia divina do santo em questão. Krampus é um ser mítico, fantástico — definitivamente um ser do Mal – muito conhecido das populações das aldeias e cidadezinhas dos Alpes. Ele também habita a imaginação europeia através do folclore na Áustria, Alemanha, Alsácia, Suíça, Eslovênia, e demais áreas das montanhas alpinas. Faz parte da cultura local desde tempos imemoriais. Apesar de muito antigo e limitado geograficamente aos Alpes, sua influência afeta alguns costumes natalinos de outras terras, até hoje.
Segundo se conta, Krampus começa as festividades do Natal no dia 5 de dezembro. Enquanto São Nicolau (Papai Noel) leva presentes às crianças boas, Krampus invade as casas e arrasta os pequenos que agiram mal, fizeram pirraça, não comeram legumes. Para um lugar desconhecido.
 O divino equilíbrio entre o bem e o mal, entre luz e trevas, penetra e permeia todas as coisas. Sem enxergar todas as oposições e caminhos, não somos capazes de alcançar a divindade  e adoramos ídolos. Importante recordar que mesmo Jesus, antes de dar início ao seu ministério foi ao deserto afim de ser 'tentado pelo diabo'. Ou seja, foi levado pelo Espírito na direção oposta em que a maioria dos cristãos pensa correr...
Mas quem era Krampus (do alemão, Krampen; garras)? 
Krampus foi uma divindade pagã rebatizada e inserida nas festividades natalinas não muito tempo depois de São Nicolau. O Papa Gregório aconselhou Santo Agostinho a permitir que o personagem fizesse parte dos festejos no século IV; a velha estratégia da Igreja de 'redimir' figuras que não podia expulsar da alma do povo. Krampus era uma dessas divindades mascaradas como diabos, como pode ser notado na figura acima.
Deusa Perchta bonita, mas perversa.
Tudo sobre controle, afinal.
PAPAI NOEL OU DEUSA PERCHTA ?
Deusa Perchta, na forma bela
A deusa Perchta (Alemanha e Aústria) ou Berchta (Noruega) era uma divindade cultuada pelos povos alpinos retratada como uma belíssima mulher de pele e cabelos brancos como a neve ou como uma figura monstruosa e furiosa. Vigiava os animais no inverno e também se certificava de que as costureiras estavam trabalhando corretamente em seu tear e mantendo limpas as suas casas. Para as 'boas' (Que eram fiéis em seu trabalho e lhe deixavam oferendas como leite, mel, panquecas) ela deixava recompensas tais como sorte no casamento, fertilidade, sabedoria para plantar e colher linho e cânhamo. As 'más', entretanto, tinham seus fusos quebrados, seus tecidos rasgados. 
Perchta zelava pelas crianças não nascidas e as protegia em vida, embalando seu sono e lhes deixando presentes na noite de Yule; moedas e doces nas meias colocadas junto da lareira. Mas lendas mais sinistras falavam de seu castigo aos maus meninos e meninas. Ela os arrastava para sua gruta e arrancava seus intestinos colocando feno ou lixo em lugar.
Ora, vemos então que, por detrás do bom velhinho Noel está o culto a Deusa!
A festa de Perchta era celebrada no dia 6 de janeiro onde mais tarde os cristãos passaram a celebrar a Epifania, ou festa da Manifestação do Senhor, dois domingos depois do Natal, um dia após o Dia de Reis. 


Outra forma de Berchta, mais parecida com Krampus

O processo de catequização cristã não deixou a deusa bela por muito tempo. Embora a figura monstruosa abaixo já fosse retratada em máscaras pelos camponeses, ganhou força com os cristãos que tentavam demonizar a divindade. Até sua face bela ganhou os contornos de uma velha feia, má, de grande nariz e verrugas. Mais tarde, Krampus seria pintado nos tons do deus grego Pã, figura oficial do diabo cristão.
Berchta ou Krampus ?
Até hoje, tradicionalmente, jovens rapazes das 
regiões Alpinas se vestem como Krampus – 
principalmente na cidade que é centro de 
comércio na Bavária, chamada Berchtesgaden, e 
desfilam acompanhando São Nicolau, durante as 
primeiras duas semanas de dezembro.  Os 
cristãos portugueses trouxeram esse costume 
pagão, para o Brasil e colocaram o nome de 
Folia de Reis.   Na verdade, os palhaços que 
vão à frente do cortejo, usando máscaras de 
bode, são representações de Berchta. O krampus 
de saias.


Assista esse vídeo com atenção e você terá uma surpresa !
Apologia aos Demônios dos Alpes

O processo de catequização cristã não deixou a deusa bela por muito tempo. Embora a figura monstruosa acima já fosse retratada em máscaras pelos camponeses, ganhou força com os cristãos que tentavam demonizar a "divindade". Até sua face bela ganhou os contornos de uma velha feia, má, de grande nariz e verrugas. Mais tarde, Krampus seria pintado nos tons do deus grego Pã, figura oficial do diabo cristão.

Até hoje, tradicionalmente, jovens rapazes das regiões Alpinas se vestem como Krampus – principalmente na cidade que é centro de comércio na Bavária, chamada Berchtesgaden, e desfilam acompanhando Papai, São Nicolau, Noel durante as primeiras duas semanas de dezembro.

Bem, vemos agora que a imagem divina de Nicolau e Krampus são não apenas os opostos do bem e mal, luz e trevas. Mas também o Masculino e o Feminino.

Não será a ausência dessa figura, sua sombra projetada sobre nós exigindo ser reconhecida, a causa do consumismo doentio, da pieguice e do vazio triste dessa época do ano? Não seremos todos nós vítimas de Krampus?
Vou deixar uma das mais conhecidas canções americanas:Santa Claus is coming to town com sua subliminar referência a sombra de Papai Noel:   Que para mim, parece um apelo desesperador para que a criança seja "boazinha" por que uma grande ameaça está chegando à cidade: PAPAI NOEL.
Para-
You better watch out 
You better not cry 
Better not pout 
I’m telling you why 
Santa Claus is coming to town 
He’s making a list 
And checking it twice; 
Gonna find out Who’s naughty and nice 
Santa Claus is coming to town 
He sees you when you’re sleeping 
He knows when you’re awake 
He knows if you’ve been bad or good 
So be good for goodness sake! 
O! You better watch out!
You better not cry
Better not pout 
I’m telling you why
Santa Claus is coming to town 
Santa Claus is coming to town
——
É melhor tomar cuidado
É melhor você não chorar
Melhor não emburrar
Estou dizendo porque
Papai Noel está vindo para cá
Ele está fazendo uma lista
E verificando-a duas vezes;
Vou descobrir quem é levado e quem não é
Papai Noel está vindo para a cidade
Ele vê quando você está dormindo
Ele sabe quando está acordado
Ele sabe se você foi mau ou bom
Então, seja bom pelo amor de Deus!
O! É melhor tomar cuidado!
É melhor você não chorar
Melhor não emburrar
Estou dizendo porque

Papai Noel está vindo para a cidade
Papai Noel está vindo para a cidade
Claro que depois disso tudo, um 'Feliz Natal' estaria fora de lugar. 
OBS: Existe uma outra figura que participou na composição de Papai Noel (existem muitas na verdade), bem mais antiga e muito popular nos dias de hoje. 
Para os que tem olhos para ver, uma imagem falará mais do que mil palavras.
Matéria compilada do site http://cidadedagraca.blogspot.com.br - Mestre Alec.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Livro do MEC “reescreve a Bíblia” e ensina jihad para as crianças

Ativista denuncia novo caso de doutrinação nas escolas patrocinado pelo governo. O ativista de direitos humanos Roberto Grobman está fazendo mais uma denúncia sobre a ideologia perversa presente em alguns livros distribuídos às escolas pelo Ministério da Educação do Brasil (MEC). Judeu, ele caracteriza um desses livros, da disciplina de História, como antissemita.
Voltado aos alunos do primeiro ano do ensino médio, o livro em questão – História: das sociedades sem Estado às monarquias absolutistas, volume 1 – foi distribuído nos anos de 2015, 2016 e 2017. Há uma grande probabilidade que continuará a ser usado nos próximos anos.
A obra, publicada pela Saraiva, tem quatro autores, todos professores da Universidade Federal Fluminense: Sheila Siqueira de Castro Faria, Jorge Ferreira, Georgina dos Santos e  Ronaldo Vainfas. O texto elimina os judeus da narrativa histórica, substituindo por “hebreus”, e também oculta o nome de “Israel” quando o material cita a Bíblia, preferindo usar Palestina.
Ora, essa palavra não existe na Bíblia, sendo uma denominação que possui profundo significado político e religioso, historicamente defendendo a narrativa islâmica sobre a Terra Santa. Na prática, estão reescrevendo a Bíblia para acomodar questões ideológicas.
             Grobman afirmou: “Vivo em Israel há anos, sou pesquisador, historiador e já fiz vários trabalhos de arqueologia bíblica e afirmo que nos 5778 da história judaica, foi a primeira vez que escutamos uma barbaridade assim”.
Ele lembra ainda que foi o imperador romano Adriano, que odiava os judeus, que trocou o nome de “Província Romana da Judeia” para “Província Romana da Síria Palestina” no ano 135 d.C. Essa nomenclatura derivava da palavra em latim para “Filisteia”, a terra dos filisteus.


Tal nomenclatura para a Terra Santa perdurou até o início do Império Bizantino, por volta do ano 350. Grobman acrescente ainda: “o nome Palestina caiu em esquecimento, pois povos diversos conquistaram a região. Em 1922 os ingleses começaram a usar o termo ‘Mandato Britânico da Palestina’ para se referir a toda essa região, que incluía também a Jordânia. Eles pensam ser um termo neutro, mas que se transformou num dos maiores problemas da atualidade, pois os árabes que viviam ali tomaram a decisão política de se intitular povo palestino – algo que jamais existiu na história – para não deixar o povo judeu, que havia sido autorizado pelas Nações Unidas, a se estabelecer aonde era Israel”.
Jihad para crianças
            No capítulo seguinte do mesmo livro há um texto igualmente controverso, quando fala sobre o c. Contrariando o que os próprios muçulmanos ensinam sobre a jihad (guerra santa) – que é a motivação dos extremistas para os ataques terroristas – o livro afirma que ele não tem a ver com “o permanente sentimento de ódio” aos cristãos do ocidente.
Um conhecimento mínimo sobre a doutrina islâmica é o suficiente para deixar claro que Maomé pensava diferente. Primeiramente por que essa “guerra santa” era travada contra “os judeus e os idólatras”, como diz a Sura 5:82 do Alcorão.
Idólatras, no caso, eram os cristãos pois os islâmicos os acusavam de adorar a 3 deuses – Pai, Filho e Espírito Santo. Todos os que não aceitam o Islã são chamados no Alcorão de “incrédulos” e sua morte também É ordenada, caso não se submetam. Existem ainda na Hadith, ou “Livro dos Ensinamentos de Maomé”, diversos estímulos à jihad como a guerra santa contra judeus e cristãos.
Quem deseja conhecer mais sobre o assunto pode consultar sites apologéticos como “Respondendo ao Islã” e o Centro Apologético Cristão de Pesquisas

De olho no livro didático
O PNLD (Programa Nacional do Livro Didático) é responsável pela distribuição gratuita a alunos e professores de escolas públicas dos ensinos fundamental e médio, livros didáticos essenciais ao processo educativo.
O Ministério da Educação adquire todos os anos milhões de livros, de diversas editoras. Mas há casos conhecidos de se reescrever a história para impor uma narrativa ideológica.
Existem várias denúncias sobre isso nos últimos anos. O professor Orley José da Silva, evangélico e defensor do movimento “Escola Sem Partido”, mantém o blog “De Olho no Livro Didático” que seguidamente faz denúncias sobre erros, abusos e doutrinações presentes em materiais distribuídos pelo MEC.

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

“A Bíblia não muda”, diz pastor da Hillsong após a Austrália decidir pela legalização do casamento gay

O plesbiscito realizado pela Austrália para definir se o casamento gay seria legalizado foi encerrado com vitória do SIM, o que estabelece a união entre pessoas do mesmo sexo como uma nova jurisdição legal. Diante disso, o pastor Brian Houston, presidente da Hillsong Church, destacou que continuará pregando a definição bíblica de casamento.
“Olhem sempre para Jesus”, disse Brian Houston em um comunicado emitido após a divulgação do resultado. “Eu acredito que cada pessoa é criada por Deus com um plano e propósito, e o foco da Igreja Hillsong sempre foi – e sempre será – que as pessoas olhem para Jesus”, reiterou.
“Minha crença pessoal continua a ser nos ensinamentos da Bíblia sobre o casamento, e isso não mudará. O trabalho de nossa igreja continuará como de costume, como acontece em muitas partes do mundo onde o casamento entre pessoas do mesmo sexo é legalizado”, acescentou o pastor.
De acordo com Brian Houston, de agora em diante a luta será para impedir que os ativistas gays imponham às igrejas a obrigação de celebrar cerimônias de união de pessoas do mesmo sexo: “É vital, no entanto, que a legislação proteja os direitos das igrejas, pastores e outros para manter crenças contrárias, baseadas nos ensinamentos tradicionais das Escrituras. A liberdade de religião é uma parte fundamental de uma sociedade democrática e deve ser mantida. Qualquer tentativa de forçar cristãos a comprometer sua fé seria errado”.
Embora o plebiscito realizado na Austrália não tenha poder impositivo sobre o Parlamento para a legalização, analistas políticos consideram que é quase certo que os parlamentares votem a favor da medida, já que 62% dos eleitores que votaram se mostraram favoráveis, e o governo prometeu que permitirá a discussão sobre o assunto até dezembro.
“O povo da Austrália falou, e pretendo fazer do desejo dele uma lei neste país até o Natal. Este é um apelo irresistível para a igualdade matrimonial”, afirmou o primeiro-ministro Malcolm Turnbull.
Brian Houston disse que sua oração é que o país substitua a “raiva, crítica, ódio e intolerância pelo amor, compreensão, aceitação e gentileza”, mas que permanecerá firme em sua crença: “Jesus nos ensinou a manter firmes as nossas convicções, enquanto respeitamos outras pessoas que possuem diferentes pontos de vista”.
Segundo informações do portal Gospel Herald, antes do plebiscito, o pastor foi claro ao orientar os membros de sua igreja: “Eu acredito que a palavra de Deus é clara em afirmar que o casamento é entre um homem e uma mulher. Os escritos do apóstolo Paulo nas Escrituras sobre o tema da homossexualidade também são claros, como mencionei em declarações públicas anteriores”.

" O pastor Carlos A. Neto, autor do blog Dias Finais, entende que nem todas as leis que se aplicam em outros paises servem para serem utilizadas aqui no Brasil. Isso é uma situação de cunho cultural e religioso, que deve ser respeitado de acordo com a maioria do povo brasileiro que por sua vez não aceita esse tipo de casamento. No entanto isso parece ser-nos "enfiado pela garganta" abaixo. "

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Precisa-se dar um “basta” ao politicamente correto (para o mundo), diz ministra israelense. "Peço que sigamos a Bíblia

A ministra israelense de Igualdade Social, Gila Gamliel, recebeu em nome de seu governo uma manifestação de apoio de deputados de 15 países que se opõem às tentativas da Organização das Nações Unidas (ONU) em deslegitimar a presença dos judeus em seu próprio território, e afirmou que é tempo de ser “biblicamente correto”.
Resultado de imagem para Gila GamlielGila Gamliel agradeceu a manifestação dos parlamentares dizendo que é importante lutar contra organizações que tentam reescrever a história a partir do pensamento pós-moderno: “Eu digo que já basta de sermos politicamente corretos, vamos ser biblicamente corretos […] Vocês estão do lado certo nesta história”.

A ministra se reuniu em Jerusalém com 27 deputados de 15 países diferentes em uma conferência organizada por diversas entidades, como Fundação Aliados de Israel (IAF), dos EUA; Congresso Mundial Judaico; a Embaixada Cristã Internacional em Jerusalém (ICEJ); e a organização Pontes pela Paz.
“A diplomacia baseada na fé está liderando esforços contra a deslegitimação de Israel”, comentou o presidente da IAF, Josh Reinstein. “Nós testemunhamos mais uma vez o surgimento do antissemitismo em todo o mundo, o que muitas vezes é formulado em posições políticas contra o direito de Israel de existir”, acrescentou.
No encontro, realizado na última segunda-feira, 09 de outubro, todos os parlamentares e representantes das entidades que organizaram a conferência assinaram uma resolução que repudia todas as iniciativas que visam negar as origens judaicas do Estado de Israel e da cidade de Jerusalém, assim como todas as evidências forjadas para acusar a nação de ser “ocupante” do território.

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

A Força do Querer e a trans Ivana

No ano 2000, a atriz Carolina Dieckmann protagonizou uma cena famosa durante a novela “Laços de Família”, quando raspou a cabeça para mostrar um pouco do sofrimento de quem sofre com câncer. Rapidamente houve uma mobilização social sobre o tema, mostrando que os telespectadores se envolveram com a dor e o sofrimento de quem passava por aquela situação. Passados 16 anos, a Rede Globo tenta equivaler a catarse coletiva durante esta semana na novela “A Força do Querer”. A personagem Ivana, vivida pela até então desconhecida atriz Carol Duarte, revelou à sua família que se descobriu “trans”, ou seja, apesar de ter nascido mulher sente-se um homem por dentro.                                                                                                                                                          Mesmo assim, ela é apaixonada por Claudio (Gabriel Stauffer) e em breve ficará gravida do rapaz, o que faria de Ivana um “homem trans gay”.

 Parece confuso? Pois realmente éAinda mais que, na vida real, Carol é lésbica assumida o que apenas reforça a militância.

Esse experimento social é promovido pela autora Glória Perez, que já criticou os evangélicos, a quem chamou de “imbecis” quando criticaram suas novelas.
Ao contrário do que aconteceu com a novela “Salve Jorge” (2012) e a minissérie “O Canto da Sereia” (2013), até o momento nenhum líder evangélico criou movimentos de protesto ou pedidos para que se faça algum tipo de boicote à Rede Globo.

Talvez por que os evangélicos estejam assistindo menos novelas ou por que a passividade comum aos brasileiros tenha se instalado de vez dentro das igrejas.
As manchetes de alguns dos principais sites de notícia após a exibição da cena comprovam que há um movimento orquestrado da grande mídia para tentar normatizar o comportamento dos trans, usando para isso a carga dramática da cena.

Em vários textos publicados por jornais e colunas especializadas em TV exalta-se Ivana revelando que deseja ser Ivan, tentando apelar para os sentimentos do público acima da razão.
Veja abaixo alguns deles:

Pastor Carlos Neto:" Parece haver uma conspiração nos ares e nessa Terra para que a humanidade venha a aceitar e até mesmo, optar em ser transsexual.  Como se a criação divina estivesse errada e, agora "alguém" num "patamar superior" quer reconstruir ou desconstruir as coisas."  Verdadeiramente, Jesus Cristo está voltando é só lembrar que ele disse:"Eis que presto venho." ( O tradicional Vou ali e volto já !"
x

terça-feira, 25 de julho de 2017

Jim Carrey depois de “zombar” dos “Illuminati” promove Satanismo na TVe agora posa de “Crente”

Em janeiro de 2015, Jim Carrey fez uma aparição no programa do Jimmy Kimmel para promover seu novo filme. Ele não perdeu a chance e zombou nas "teorias de conspiração da Internet" ao fazer constantemente o "sinal do triângulo" com a mão, enquanto mostrava sua língua no meio. Ele disse que aquilo é a "língua que tudo zomba" dos Illuminati. Ele está fazendo exatamente o que a mídia tem feito há anos: ridicularizar para descredibilizar. 
Assista ao vídeo 


Em setembro:

Jim Carrey é acusado de ter comprado drogas que mataram sua ex-namorada


Jim Carrey foi acusado por ter comprado as drogas prescritas que mataram sua ex-namorada, a maquiadora Cathriona White, segundo o site TMZ. O processo contra o ator é do ex-marido de Cathriona.

Segundo o TMZ, a ação menciona que três tipos diferentes de pílulas foram encontrados em um frasco com o nome de Athur King, que seria um pseudônimo de Carrey. É ilegal comprar remédios com o nome de outra pessoa.
Ainda segundo a ação, Carrey teria dado o frasco com as pílulas para Cathriona três ou quatro dias antes da morte dela. O processo acrescenta que o ator sabia que a ex tinha tendência à depressão e já havia tentado se matar.
Carrey ainda não falou sobre as acusações.

Cathriona morreu em setembro de 2015, aos 28 anos. A causa da morte foi overdose de remédios, e pílulas foram encontradas perto de seu corpo.
                                                                                                                                                  Carta de suicídio
A maquiadora deixou uma carta de suicídio dirigida a Carrey, referindo-se à data em que o    casal terminou o relacionamento, em 24 de setembro. Cathriona publicou seu último tweet no dia 24 de setembro: "Deslogando do Twitter, espero que tenha sido uma luz para os meus queridos".
Jim Carrey, de 54 anos, e Cathriona se conheceram em 2012, namoraram por alguns meses e depois se separaram. Em maio de 2015, o casal voltou a namorar e terminou de novo.

Jim Carrey poderá vir a ser julgado pela morte da ex-namorada e maquiadora Cathriona White, por possivelmente ter conseguido as drogas que fizeram a maquiadora morrer por overdose.  A indícios que o ator também tentou dificultar o trabalho da investigação.

A juíza Deidre Hill do Tribunal Superior de Los Angeles se recusou a arquivar o processo contra Jim Carrey. O caso vai a julgamento no dia 28 de abril de 2018. Ele pode ser condenado por homicídio culposo, no caso quando não a intenção de matar, mas se tem a culpa pela morte. Já o advogado de Jim Carrey alega que as drogas dadas pelo ator à vítima não teria ligação com o caso.                                                                                                                                                                                                                                        
Os amigos da maquiadora falaram que ela se classificava como “loucamente apaixonada” pelo ator, mas que o relacionamento dos dois era como uma montanha-russaO relacionamento entre os dois começou em 2012 e foi cercado de momentos conturbados e várias idas e vinda.                                                                                                                                                                                                                                                                      Jim Carrey está com 55 anos, é ator, comediante, roteirista e produtor, tendo atuado em dezenas de filmes de comédia. Os principais que lançaram Jim Carrey ao estrelato foram “Debi e Loide”, “Ace Ventura” e “O Máscara”, todos lançados em 1994. Curiosamente, esses três filmes acabaram virando desenhos animados posteriormente.                                                                                                                                                                                 Jim Carrey também atuou em filmes dramáticos e de suspense, como “Brilho eterno de uma mente sem lembranças”, onde ele interpreta um rapaz que resolve passar por um procedimento para esquecer todas as lembranças de sua ex namorada, após saber que ela passou pelo mesmo procedimento. Outros filmes foram “O Show de Trummam” onde seu personagem descobre que sua vida na verdade é um grande reality show e “Número 23”, onde ele atua como um homem que se torna obcecado pelo número 23.                                        Jim Carrey também é conhecido por outros filmes, como “O todo poderoso”, “O Grinch”, “Batmam eternamente”, “O mentiroso”, “Desventuras em série” e “Sim senhor”.                                                                                                                                                          A eventual aproximação de Jim Carrey do Evangelho não foi notícia na imprensa norte-americana, muito menos na mídia voltada a celebridades, que é muito forte em Hollywood. No entanto, a fala do ator indica que ele tem se apoiado na fé para superar as adversidades, já que deverá enfrentar um julgamento pela morte da namorada em breve.

                                      Assista ao vídeo



" Seria esse o motivo de Carrey passar a demonstrar uma tão "rápida" conversão ao cristianismo evangélico ? Ou será apenas uma  "Maskara" a ser usada até o dia do julgamento ?  Vamos esperar para ver."                                                                       palavras de Carlos A. Neto - autor deste blog

sábado, 22 de julho de 2017

Em encontro com Caio Fábio, Kleber Lucas canta Paralamas do Sucesso


O pastor Caio Fábio compartilhou um vídeo gravado no último sábado dia 15/07 em que está junto com o cantor e pastor Kleber Lucas. Na ocasião, o artista interpreta “Lanterna dos Afogados”, hit do Paralamas do Sucesso.

   Cantor interpretou "Lanterna dos Afogados" e perguntou aos presentes se "também sabiam essa "música do mundo"

Kleber, que causou polêmica este ano por cantar “Epitáfio”, dos Titãs, em um culto, repetiu o feito.  a dificuldade da vida das mulheres que aguardavam os maridos pescadores voltarem pra casa, depois de uma rotina de labuta.

O nome da canção é baseado num capítulo do livro Jubiabá, do autor brasileiro Jorge Amargo. Nas palavras de Fábio, “O capítulo retrata o bar Cais do porto, onde as mulheres dos pescadores esperavam os seus maridos com lanternas, para ajudá-los a achar o caminho certo”. 

                                                                                                                                 A letra aborda a dificuldade da vida das mulheres dos pescadores que saem para pescar e nem sempre voltam para casa. Elas aguardavam os maridos com grande ansiedade e expectativa, pois o risco é frequente e as mulheres ficam aflitas, rezando e torcendo para que possam ver seus maridos de novo.



O nome Lanterna dos Afogados vem de um capítulo do livro “Jubiabá”, de Jorge Amado. O capítulo retrata o bar Cais do porto, onde as mulheres dos pescadores esperavam os seus maridos com lanternas, para ajudá-los a achar o caminho certo.
                                                                                                                                A canção foi tocada no violão por Kleber, que foi acompanhado por sua banda. Caio Fábio segurou o celular com a letra da música. Além dos Paralamas, “Lanterna dos Afogados” também foi gravada por Maria Gadú.

" Eu não concordo com essas práticas de "evangelização" porque no meu, parco, entender a reapresentação dessas músicas seculares podem acarretar um desejo, ainda que breve, de aquele que está ouvindo-as, dentro de um ambiente supostamente gospel, também sinta-se tentado a ir "só um pouquinho" a um show de artistas seculares."                                                                  palavras do pastor Carlos A. Neto autor deste blog
Em tempo:                                                                                                                                                                                                                                                                                     Relembrando os Beatles, Caio Fabio diz: “Na Papuda, fui tratado como se fosse Jesus, por todos!”